Mais Esportes

Em defesa do Lago, atletas programam atividades para celebrar o Dia Mundial da Água

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 17/03/2014 11:20 / atualizado em 17/03/2014 12:01

Jéssica Raphaela /Correio Braziliense

Ed Alves/CB/D.A Press
A cena já se tornou comum para os brasilienses: um dia de sol com pessoas remando no stand up paddle (SUP), praticando windsurf, fazendo manobras no wakeboard. O Lago Paranoá é um dos lugares mais queridos dos adeptos de esportes outdoor. O carinho é tamanho que atletas combinaram um grande encontro no local, no próximo sábado, para celebrar o Dia Mundial da Água. Sem distinção de modalidade — com prancha, remo, vela, ou só na base das braçadas e pernadas mesmo —, todos são convidados para o movimento #ocupeolago.

Estarão presentes nadadores, triatletas, surfistas, multiesportistas, iatistas, remadores e canoístas. O multiatleta Kenny Sousa, campeão do Ironman 70.3 do ano passado na categoria 35/39 anos, confirmou participação no projeto. “Uso o lago três vezes por semana, é essencial para o meu treinamento”, constata ele, que atribui ao local o fato de Brasília ter tantos, e bons, triatletas. “Nadar em águas abertas é fundamental para formar um campeão”, argumenta.

No sábado, Kenny deixará de lado a touca e os óculos de natação. Desta vez, ele escolheu os remos e decidiu reunir as três canoas havaianas existentes na cidade. As embarcações (cada uma precisa de seis pessoas remando) vão ser levadas ao Parque Vivencial do Anfiteatro Natural do Lago Sul, mais conhecido por Morrote. “As pessoas vão poder experimentar a canoa, entender o funcionamento da remada em grupo. É o dia ideal para popularizar a modalidade”, afirma, animado.

No mesmo local, muito frequentado por atletas, vai haver uma concentração de canoístas. Já consolidado, o Kaiak dos Amigos tem atraído curiosos. “Na última vez em que nos encontramos, havia 35 pessoas. E sempre tem alguém novo, que quer remar e achou a ideia legal”, conta o responsável por marcar os encontros, Raphael Chahini, de 34 anos. Segundo ele, a diversão não é o único motivo da reunião. “Buscamos sempre conscientizar os novatos sobre o uso do lago. Queremos uma ocupação organizada. No sábado, teremos uma chance única de educar um grande número de pessoas sobre o cuidado com o ambiente e com a segurança”, diz.

Outros dois pontos estão com a programação definida. Na QL 13 do Lago Norte, haverá treinos abertos de natação e triatlo, e no Parque das Garças, também no Lago Norte, os praticantes de stand up paddle se encontrarão. Mais locais estão sendo negociados, como explica o idealizador do #ocupeolago, Marcelo Ottoni Nepomuceno. “É um evento colaborativo. Então, quem tiver uma iniciativa e quiser aplicá-la em algum ponto contará com o nosso apoio. Queremos que o lago inteiro entre no movimento. Inclusive, alguns clubes demonstraram interesse em participar”, comenta o ultramaratonista.

Mobilização
Preocupado com os recentes casos de vazamento de óleo no Lago Paranoá, Marcelo Ottoni percebeu que era preciso tomar uma iniciativa. “Decidi encher o lago de gente para mostrar ao poder público que os brasilienses usam o local e se preocupam com a degradação do ambiente”, critica. O objetivo vai além. Ele quer envolver mais aqueles que usam o espaço tanto para o divertimento quanto para o trabalho. “Mobilizamos atletas para um dia de entretenimento, mas nosso pano de fundo é montar um grupo estruturado, permanente e proativo pelo lago”, destaca.

#ocupeolago
O movimento colaborativo conta com as redes sociais para existir. Reuniões com os organizadores são abertas e marcadas pela página www.facebook.com/ocupeolago. A proposta é usar a hashtag #ocupeolago para divulgar fotos tiradas no cartão-postal da cidade.