Mais Esportes

HANDEBOL

Com técnico e Thiagus Petrus, seleção de handebol tem sete com COVID-19

Número de infectados cresceu às vésperas do Mundial no Egito

postado em 12/01/2021 20:32

(Foto: Divulgação)

A seleção brasileira masculina de handebol revelou mais dois casos de coronavírus às vésperas do início do Mundial, no Egito. Depois de cinco testes positivos na delegação revelados na terça-feira, os últimos a contraírem a doença foram o técnico Marcus "Tatá" Oliveira e o meia Thiagus Petrus. Agora, portanto, são sete infectados.

De acordo com a Confederação Brasileira de Handebol, os diagnósticos foram apresentados nos exames PCR realizados na segunda-feira, na cidade portuguesa de Rio Maior, onde o COB montou uma estrutura para atividades de atletas e que vinha sendo utilizada pela equipe na preparação ao Mundial.

Tatá e Thiagus Petrus estão isolados e cumprindo isolamento em Portugal. Assim, repetem o procedimento que já vinha sendo adotado pelo goleiro Ferrugem e por outros quatro membros da delegação: o supervisor Rafael Akio, o preparador físico Claudio Machado, o fisioterapeuta Daniel Santos e o analista de desempenho Luan Monteiro. Todos apresentam apenas sintomas leves

O restante da equipe foi liberada para a viagem ao Cairo nesta quarta-feira. Inicialmente, o embarque estava previsto para a última sexta. O Brasil vai estrear no Mundial no sábado, diante da Espanha. Tunísia e Polônia serão os outros adversários da seleção no Grupo B.

Tags: mundial handebol egito covid-19 Seleção Brasileira de Handebol