MMA

UFC

Em busca da reação, Jéssica Bate-Estaca tenta a sorte em nova divisão no UFC

Ex-campeã peso palha estreia nos moscas neste sábado e já mira cinturão

postado em 16/10/2020 08:02 / atualizado em 16/10/2020 00:33

(Foto: Reprodução/Instagram)
Ex-campeã peso palha (52kg), Jéssica Bate-Estaca já foi desafiante ao cinturão dos galos (61,2kg) e agora tentará a sorte em outra divisão do UFC. A paranaense lutará na categoria dos moscas (57kg) diante de Katlyn Chookagian, neste sábado, no coevento principal na Ilha da Luta, em Abu Dhabi, e busca retomar o caminho das vitórias após duas derrotas seguidas na organização. 

Depois de conquistar o cinturão peso palha ao nocautear Rose Namajunas, em maio de 2019, no Rio de Janeiro, Bate-Estaca perdeu o título logo na primeira tentativa de defesa, em agosto do mesmo ano, diante da chinesa Zhang Weili, ainda campeã. A brasileira ainda teve novo revés, na revanche contra Namajunas, em julho passado, na Ilha da Luta. 

Jéssica decidiu se testar na divisão peso mosca e retornará à Ilha da Luta para novo desafio, agora diante da ex-desafiante Katlyn Chookagian. A americana perdeu a disputa de cinturão na categoria para a ainda campeã, Valentina Shevchenko, em fevereiro deste ano, se recuperou contra Antonina Shevchenko, irmã da dona do título, e ocupa o primeiro lugar no ranking da categoria até 57kg - Valentina fica acima da lista das top 15. 

Em entrevista ao SUPERESPORTES, Bate-Estaca disse que a mudança de divisão não é definitiva, mas ela se coloca como candidata a enfrentar a campeã em caso de triunfo sobre a ex-desafiante. A paranaense considera que levará vantagem na categoria até 57kg, justamente por não ter se preocupar tanto com o corte de peso, ao contrário do que ocorria quando precisava bater os 52kg. 



Depois de duas derrotas nos palhas, vc lutará no peso mosca. É a chance de dar uma nova guinada na carreira?

Ah, com certeza. Na verdade, lutar nos 57kg não é algo definitivo. A gente está flutuando. Eu falei com o UFC que eu lutaria onde estivessem precisando de mim, tipo super-herói. Aí eu dei opção para o Mestre Paraná (treinador da Jessica na equipe PRVT) da gente fazer uma luta no peso mosca, pois que eu já vinha de dois camps pesados no peso palha, com grandes cortes de peso. Isso desgasta muito o corpo e eu estou ficando mais velha, preciso pensar em outras coisas. Além disso, lutar no peso mosca é ficar perto do cinturão de novo, ainda mais estreando contra a líder do ranking como a Katlyn Chookagian. Quero mostrar que estou aí para o que der e vier para o UFC.

Você já vai enfrentar a última desafiante da categoria. Acha que ficará perto de uma chance de disputar o título contra Valentina em caso de triunfo no sábado?

Acredito que sim, até pela história que fiz no peso palha. Acredito que o UFC vá me dar a Valentina ou uma outra oponente até a Valentina lutar contra a Jennifer Maia, que deve ser a próxima. Vencer a Katlyn pode me colocar no topo do ranking, como foi no peso palha.

A subida de peso tem a ver com sua preparação física? Acha que pode ter mais rendimento sem se preocupar muito com o corte de peso?

Durante a semana eu me preocupo muito com peso. E tem uma diferença boa dos 52kg para os 57kg. Para esse camp eu pude comer, treinar mais forte, usar cargas mais altas de peso. Fisicamente, o Mestre olhou para mim (ele estava em Las Vegas e eu no Brasil, treinando sob a orientação dele) e disse que eu estava do mesmo jeito, mas que a parte de trocação e ground and pound estava muito mais forte do que todas as outras vezes. Vocês vão ver uma Jessica mais forte nessa luta. Mais estruturada. Vai ser uma luta bem diferente. Para mim vai ser bem legal ter essa tranquilidade durante a semana, há mto tempo que não tinha. Me divertir, comer bem, passear. Estar sempre feliz.

A derrota na revanche para Namajunas serviu de alerta para melhorar algo no seu jogo de luta? 

Na luta com a Rose falou mais agressividade. Faltou também colocar em prática o que a gente tinha planejado: esquivar dos golpes, entrar, bater e ir pra grade, pra cansá-la. Tirei de aprendizado. Aprendi a melhorar minha esquiva e a ouvir mais a minha equipe.

(Contra) Adversárias maiores você tem que sair dos golpes pra entrar. Vou ter que fazer isso com a Katlyn. Vai ser um jogo parecido, mas com mais agressividade. Para não haver dúvida de quem venceu, caso a luta vá para a decisão.

(Foto: UFC/Instagram)


O fato de ser uma nova divisão no UFC também te motivou a subir de peso novamente? 

Ah, com certeza. Eu sempre disse que queria lutar com as melhores do mundo e isso inclui todas as categorias. Lutei com muitas atletas boas no galo, lutei com as melhores no palha. Para mim, está sendo muito bom fazer essa mudança – mudanças são sempre boas. Poder lutar com meninas mais altas e mais fortes vai me dar um pico de autoestima, vai me motivar mais. Vai ser muito bom poder mudar o direcionamento das coisas da minha vida. Vai se impactante para mim e pros meus fãs tb, que terão a chance de ver uma Jessica mais agressiva e mais forte.

Como você avalia o peso mosca do UFC?

A divisão peso mosca ainda tem uma falta de meninas. A Valentina não luta sempre, falta oponente. Muitas atletas mudando de categoria ainda. Tem que ter uma movimentação diferente. Agora que a Jennifer conseguiu a chance dela. Acho que estou entrando para movimentar a divisão, deixar a galera mais ativa. Vai ser bem legal. É a que vejo que tem mais espaço pra crescer. Espero q logo, logo eu tenha a minha chance.

UFC FIGHT NIGHT: ORTEGA x ZUMBI COREANO


Sábado, 17 de outubro
Horário (de Brasília): 17h - card preliminar; 20h - card principal
Ilha da Luta, em Abu Dhabi, Emirados Árabes

CARD PRINCIPAL

Brian Ortega x Chan Sung Jung (Zumbi Coreano)
Katlyn Chokagian x Jéssica Bate-Estaca
Jimmy Crute x Modestas Bukauskas
Cláudio Hannibal x James Krause
Thomas Almeida x Jonathan Martinez

CARD PRELIMINAR

Mateusz Gamrot x Guram Kutaleladze
Gillian Robertson x Poliana Botelho
John Phillips x Jun Yong Park
Jamie Mularkey x Fares Ziam
Gadzhimurad Antigulov x Maxim Grishin
Mark Striegl x  Said Nurmagomedov 

Brasileiros em negrito

Tags: cinturão UFC peso mosca ex-campeã jéssica bate-estaca katlyn chookagian Ilha da Luta