Basquete

BASQUETE

Dominado pelos atuais campeões, Brasília perde e segue na lanterna do NBB

Batido pelo Paulistano por 71 x 97, time brasiliense acumula 11 derrotas em 14 jogos e continua gravemente ameaçado pelo rebaixamento

postado em 11/01/2019 21:46 / atualizado em 11/01/2019 22:11

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Wallace Martins/Esp. CB/D.A Press
 
A fase era ruim desde 2018 e parece piorar no ano-novo. No primeiro jogo do Universo/Brasília em 2019, nesta sexta-feira (11/1), no Ginásio da Asceb, os donos da casa foram batidos pelo Paulistano, atual campeão do Novo Basquete Brasil (NBB), por 71 x 97. Com o resultado, a equipe brasiliense segue estacionada na última colocação do torneio nacional, com 11 derrotas e apenas três vitórias. O time paulista está na quarta posição, com 12 triunfos em 16 partidas.
 
O jogo começou tenso e equilibrado, com os rivais trocando pontos em ritmo intenso. A desvantagem de dois pontos para o Brasília durou até metade do período, quando o Paulistano deslanchou baseado em transições rápidas e muitas trocas de passes, enquanto os donos da casa apresentavam erros primários de defesa. Em um lance de efeito, Yago aplicou uma finta desconcertante em Nezinho, que ficou no chão, e deu assistência para Léo Meindl pontuar debaixo da cesta. Cedendo inúmeros rebotes ofensivos, a equipe brasiliense encerrou a etapa perdendo por 11 x 22.
 
No segundo quarto, o Brasília apresentou um lampejo de lucidez. Com defesa e ataque impecáveis, os donos da casa anotaram nove pontos em sequência, enquanto o rival ficou zerado. A desvantagem caiu para dois pontos: 20 x 22. Mas a reação brasiliense não durou muito tempo. Os erros ofensivos voltaram a se repetir e o Paulistano despertou, empolgado por duas enterradas do ala/pivô Renan. Cestinha da partida, com 22 pontos, Zach Graham tentou imitar o adversário, mas acabou bloqueado. No intervalo da partida, o Brasília perdia por 34 x 43. 
 
Nas etapas finais, o Paulistano continuou dominante e ampliou a vantagem, aproveitando a fragilidade da defesa do Universo/Brasília, que perdeu inúmeros rebotes. Era evidente a superioridade física e técnica da equipe paulista, que fechou o jogo com 26 pontos à frente: 71 x 97. 
 
Estreante da noite, o armador Gui Santos lamentou a nova derrota da equipe. “A estreia não foi como queria. Marcamos muito mal, mas devemos seguir em frente para o próximo jogo. Treinei por cerca de duas semanas, então, ainda falta conquistar mais entrosamento com o restante do time para ajudar melhor”, disse. O Universo/Brasília volta à quadra na próxima terça-feira (15/1), novamente no Ginásio da Asceb, às 19h, para enfrentar Mogi, quinto colocado, com 11 vitórias e quatro derrotas. 

Elenco
A equipe brasiliense dispensou o ala/pivô Ricky Sánchez. Contratado para ser uma das estrelas do time, o portorriquenho deixou a desejar, exibindo nítido mau preparo físico e rendimento decepcionante. Outra ausência sentida pela torcida foi o pivô Ronald, que esperava voltar à ativa após suspensão por doping. A liminar de liberação obtida pelo time candango ainda não foi devidamente validada e passará por novo julgamento para definir o órgão de competência nos próximos dias. 


Torcida fiel

Paulo Lacerda e o filho Caio
 

Na vitória ou na derrota, eles estão sempre presentes. Há seis temporadas, o servidor público Paulo Lacerda, 57 anos, leva o filho Caio, 15, para assistir aos jogos da equipe brasiliense no NBB. Grande fã de esportes, torcedor do Vasco e praticante de natação, o garoto tem paralisia cerebral, que lhe compromete parte dos movimentos. “Estamos presentes em todas as partidas. Foi muito legal receber o aperto de mão do Ronald, que nos reconheceu e veio nos cumprimentar. Esperamos que ele tenha sorte neste recomeço”, disse Paulo.