Mais Esportes

SKATE

Conheça Felipe Gustavo, skatista que pode representar o Brasil nas Olimpíadas de 2020

O brasiliense que integra a primeira Seleção Brasileira de Skate critica falta de pista profissional na capital federal

postado em 10/08/2018 08:58 / atualizado em 10/08/2018 17:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:


Nascido no Guará, Felipe Gustavo Macedo tinha pouco mais de 1,50m de altura, 40kg e ainda esbanjava bochechas — característica que originou o apelido mantido até hoje — quando saiu de Brasília para tentar a carreira de skatista nos Estados Unidos, aos 15 anos. Atualmente, aos 27 e com rosto mais enxuto, o atleta integra a primeira Seleção Brasileira de skate, formada neste ano de olho na estreia da modalidade nas Olimpíadas de Tóquio, em 2020.

“Deve ser uma sensação muito sinistra estar entre os melhores dos melhores e vestir o uniforme do país”, almeja Felipe Gustavo. A possibilidade de concretizar este sonho está mais perto, mas a quantidade de vagas por país para o skate nos próximos Jogos Olímpicos ainda está indefinida. Sabe-se que haverá a disputa nas categorias street e park, com 40 skatistas (20 feminino e 20 masculino) em cada uma delas.

Correio Braziliense (dez/2004)
Os reflexos de o skate alcançar o status de modalidade olímpica, no entanto, já são sentidos pelos amantes do esporte. “O skate sempre foi uma parada de rua, que até hoje é muito discriminada. Sendo um esporte olímpico, deve mudar a cabeça de muitas pessoas e gerar novas oportunidades com patrocínios e visibilidade”, prevê o brasiliense. A primeira providência no Brasil, que divide protagonismo mundial com os Estados Unidos, foi criar a Seleção Brasileira e um circuito nacional de park e de street. A competição também servirá para compor um ranking do país para a formação da equipe verde-amarela a partir de 2019.

Morando em Los Angeles há 12 anos, Felipe Gustavo volta a Brasília apenas para matar a saudade da família, dos amigos e do Setor Bancário Sul, um dos lugares preferidos dele no mundo, ao lado de Barcelona e de cidades da China, para fazer o que mais ama: andar de skate. É na capital federal que estão a maioria dos amigos que ainda o chamam de Bochecha. “Sinto-me muito livre, é um pico que o mundo inteiro queria ter. Pode andar de skate que ninguém vai te mandar embora. É coberto, o chão é bom e temos essa liberdade em Brasília”, elogia.

Predileção que não evitou a saída do brasiliense da cidade natal há mais de uma década para levar adiante o sonho de se profissionalizar como skatista. A Bolsa Atleta que recebeu no início da carreira foi o que o sustentou no começo da aventura nos Estados Unidos. Depois deslanchou, mas um outro sonho segue sem ser realizado. “O que me deixa mais indignado em Brasília é que não tem uma pista de skate street, nunca teve”, lamenta.

A passagem de Felipe Gustavo pela cidade natal teve de ser encurtada para treinar em São Paulo antes da segunda etapa do STU Qualifying Series — o circuito brasileiro de skate street, disputado desta sexta-feira a domingo (10/8 e 12/8). “Eu sempre apelei para o governo fazer um circuito na cidade, mas nunca consegui. Não é possível que, com as Olimpíadas, se eu conseguir a vaga, não vamos ganhar uma pista”, alfineta. Na primeira etapa do circuito nacional 2018, em março, o brasiliense terminou na quarta colocação.

Reflexos das Olimpíadas no skate brasileiro

Carlos Vieira/CB/D.A Press
É de olho na segunda etapa do Circuito Brasileiro que Felipe Gustavo e os principais skatistas nacionais estão no Brasil. De sexta (10/8) a domingo (12/8), eles disputam o STU Qualifying Series, na Pista de Skate do Parque Municipal Chácara do Jockey, em São Paulo. Pâmela Rosa, campeã da edição 2017 do STU Open e do X-Games no ano anterior, confirmou presença. “É um campeonato que só eleva o nível do skate nacional e ajuda a incentivar a participação feminina, que está em uma crescente”, aponta a integrante da Seleção Brasileira. A etapa deve contar com 24 atletas no feminino e 96, no masculino.

A proposta inicial era de que o circuito brasileiro de 2018 contasse com 10 etapas, cinco de street e cinco de park, nos naipes masculino e feminino. Quatro eventos seriam qualificatórios (STU Qualifying Series) em diferentes estados. Brasília, inclusive, está no calendário da categoria park. A cidade será palco da terceira etapa, marcada para 21 a 23 de setembro. As disputas no park já passaram por Florianópolis, em maio, e chegarão a São Paulo, de 17 a 19 de agosto.

Na disputa street, no entanto, a etapa do Maranhão, que seria disputada no fim de julho, foi adiada e ainda não tem data definida — a prova já passou pelo Rio de Janeiro. Nas duas categorias, há ainda uma etapa qualificatória com local e data indefinidos. Na quinta e última etapa de ambos estilos, chamada de STU Open 2018, serão anunciados os integrantes da Seleção Brasileira de 2019. Prevista para novembro, a etapa final contará com skatistas estrangeiros no Rio de Janeiro.

Em outubro do ano passado, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) filiou a Confederação Brasileira de Skate (CBSk). O reconhecimento da nova entidade como responsável pelo projeto da modalidade de olho nos Jogos de Tóquio ocorreu após uma disputa com a Confederação Brasileira de Hockey e Patins (CBHP). Sob a gestão de Bob Burnquist, a CBSk visa dar mais suporte aos atletas da Seleção Brasileira.

Ao longo da temporada, os 16 skatistas da equipe (quatro atletas masculinos e quatro femininos de cada modalidade olímpica: street e park) têm direito a viagens para participar de competições internacionais, ajuda de custo e plano de saúde. Eles também recebem suporte de uma equipe formada por médicos, fisioterapeutas e preparadores físicos. "Eu tenho tudo isso nos Estados Unidos, mas ter isso no Brasil também é essencial. Tem muitas skatistas femininas, por exemplo, com potencial, mas que não têm patrocínio”, avalia Felipe Gustavo.


SERVIÇO

Carlos Vieira/CB/D.A Press
 STU QS – Etapa São Paulo Street
Data: 10 a 12 de agosto (a partir de 9h)
Local: Pista de Skate do Parque Municipal Chácara do Jockey (Av. Prof. Francisco Morato, 5257 - Vila Sonia, São Paulo)

CALENDÁRIO CIRCUITO BRASILEIRO DE SKATE 2018

Street
- STU Qualifying Series
Rio de Janeiro-RJ 17 a 18/3
São Paulo-SP 10 a 12/8
São Luís-MA (data indefinida)
Quarta etapa dp Qualifying (à confirmar) 

- STU Open 
Rio de Janeiro 14 a 18/11

Park 
- STU Qualifying Series
Florianópolis-SC 18 a 20/5
São Paulo-SP 17 a 19/8
Brasília-DF 12 a 23/9

- STU Open 
Rio de Janeiro 14 a 18/11


SELEÇÃO BRASILEIRA DE SKATE 2018

Street masculino
Kelvin Hoefler
Luan de Oliveira
Tiago Lemos
Felipe Gustavo

Street feminino
Leticia Bufoni
Pâmela Rosa
Monica Torres
Gabriela Mazetto 

Park masculino 
Pedro Barros
Luiz Francisco Mariano
Murilo Peres
Ítalo Peñarrubia

Park feminino
Yndiara Asp
Dora Varella
Isadora Pacheco
Camila Borges