Mais Esportes

TRIATLO

Campeão nacional, brasiliense busca superação no Mundial de Triatlo

Thiago Canabrava compete na categoria até 19 anos e espera bater marcas obtidas na temporada passada, quando obteve a 11ª colocação

postado em 13/09/2018 08:00 / atualizado em 13/09/2018 15:08

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Minervino Junior/CB/D.A Press
O brasiliense Thiago Canabrava, 19 anos, participa nesta semana da última etapa do Torneio Internacional de Triatlo na Austrália. Ele competirá no domingo na categoria com adversários dessa faixa etária. O jovem triatleta tem números e conquistas expressivas na carreira. Em 2017, foi campeão nacional da modalidade e 11° colocado no torneio Mundial na Holanda. “Participei da competição do ano passado para adquirir experiência e saber o que era necessário para brigar nas cabeças. Desde então, comecei a me preparar para o torneio desta temporada’’, comentou.
 
Thiago ingressou recentemente na UnB para cursar engenharia de produção. O período de transição entre a escola e a faculdade serviu para intensificar os treinamentos, fazer intercâmbio e focar no Mundial. ‘‘Este ano tive mais tempo para me dedicar aos treinamentos, passei um mês nos EUA ao lado de atletas de ponta. Acredito estar em condições muito melhores para disputar a prova. Espero superar as minhas marcas da temporada passada e obter uma boa classificação’’, disse.
 
Segundo o esportista, apesar da recente fase de treinos nos EUA, Brasília oferece boa estrutura para a prática da modalidade. ‘‘Durante a minha vida inteira pratiquei esportes. Nadava quando criança, comecei a correr aos 12 e a pedalar aos 13, quando já havia ingressado no triatlo. Brasília é uma ótima cidade para o esporte, pois tem o lago para nadar, muitas opções de rotas para o ciclismo e quase não perdemos treinos por causa do clima’’, comentou Canabrava, único brasileiro na categoria de 18 a 19 anos nesta etapa do Torneio Internacional. 
 
Treinamentos fortes e alimentação balanceada são os principais pontos na preparação do esportista. ‘‘Costumo realizar de dois a três treinos por dia, sendo dois pela manhã e um à tarde. A alimentação é um fator importante, pois estou sempre exigindo muito do meu corpo. Alimento-me em vários períodos durante o dia e da maneira mais saudável possível’’, explicou.
 
Minervino Junior/CB/D.A Press
 

O velho drama brasileiro

A etapa final do Campeonato Internacional contará com a participação de 50 brasileiros entre mulheres e homens em oito categorias. Além de Canabrava, dois triatletas representam o Distrito Federal: João Otávio e André Barbosa também estão na Austrália para participar da competição. 
Minervino Junior/CB/D.A Press
 
Segundo o caçula da delegação brasiliense, o país ainda está longe dos melhores resultados. Não por conta dos esportistas, mas pela falta de investimento no esporte. ‘‘O triatlo no Brasil está evoluindo, porém ainda é um país muito precário em relação ao investimento no esporte. Para que possamos evoluir e estarmos mais competitivos internacionalmente, necessitamos da ajuda do governo com investimento na base, na formação de jovens atletas e também de infraestrutura para o treinamento de elite’’, opinou.
   
Thiago ganhou de patrocinadores privados as passagens para os Campeonatos Internacionais deste e do ano passado, além de equipamentos para as modalidades do triatlo (corrida, natação e ciclismo). ‘‘Essas empresas me ajudam muito com essas despesas e principalmente com o equipamento. Sem elas, não seria possível competir nas provas internacionais, porém, ainda tenho de cobrir alguns custos com o meu próprio dinheiro. No alto rendimento, os custos são muito altos”, explicou o triatleta.
 
*Estagiário sob supervisão do subeditor Fernando Brito